Pensamento Sistêmico em um Sistema de Gestão da Qualidade

Pensamento Sistêmico

A newsletter de junho será sobre a importância de ver o sistema como realmente um Sistema, "conjunto de elementos, concretos ou abstratos, intelectualmente organizados."

Se eu te perguntasse, "como você relaciona gestão de riscos com não conformidades? ou procedimentos com indicadores de desempenho?" qual seria a sua resposta? 

Para entender o Pensamento Sistêmico, precisamos ter atenção a 5 pontos descritos por Nikhil Gurjar no livro "A forward looking approach to project management", da editora Springerlink:

  1. Interdependência de objetos: elementos independentes nunca podem constituir um sistema

  2. Hierarquia: sistemas complexos são feitos de subsistemas menores

  3. Busca de objetivo: a interação sistêmica deve resultar em algum objetivo ou estado final 

  4. Transformação de entradas em saídas: Este é o processo pelo qual as metas são obtidas

  5. Regulação: um método de feedback é necessário para que o sistema opere de forma previsível

Sendo assim, todos os assuntos e temas relacionados a Gestão da Qualidade ou fazem interface, ou interagem ou se retroalimentam.

Exemplo 1: 
O planejamento estratégico, que é baseado no escopo da organização, é dado de entrada para a política, que por consequência gera os objetivos da Qualidade.
Os processos necessários para entregar o produto/ serviço ao cliente final são traduzidos em procedimentos e mensurados por meio de indicadores de desempenho.
Isto é, planejamento estratégico, politica, objetivos da qualidade, processos, procedimentos e indicadores de desempenho devem estar com foco no cliente.
E foco no cliente é um dos sete princípios da Qualidade

Exemplo 2:
Uma não conformidade deve ser tratada, ter uma análise de causa raiz e um plano de ação elaborado.
Neste plano de ação deve conter ações de correção, corretivas e preventivas. Estas mesmas ações preventivas tem relação direta com as atividades de Gestão de Risco. Por isso ao elaborar o plano de ação para tratamento de uma NC, deve-se ter um olhar também nos riscos do processo ou da organização.
E se neste mesmo plano de ação gerar ações de inovação, novas, que não estavam previstas nos processos e procedimentos, então é o momento de conversar com Gestão do Conhecimento, lições aprendidas.

Exemplo 3:
Um grupo de melhoria é uma atividade periódica com foco em aumentar o desempenho dos processos.
Existem vários modelos atualmente para desenvolver grupos de melhoria: MASP, A3, DMAIC, 8D.
Entretanto todas são baseadas no PDCA e possuem uma condução muito semelhante a tratamento de não conformidade.

-
O papel do profissional da Qualidade é ver um Sistema de Gestão como um todo, e não somente um processo isolado do outro. Todos os processos de uma organização devem ter o foco em entregar o produto/serviço ao cliente, com Qualidade, isto é, de acordo com os requisitos estipulados pela própria organização (que são verificados pelas auditorias internas e análises críticas da direção).

Para finalizar, de 0 a 10, como você classifica o seu conhecimento de Pensamento Sistêmico e o da sua equipe?

Se a nota for baixa, a solução passa por treinamentos eficazes e pontuais para tratar cada caso. O resultado pode ser bem positivo!

Deixe aqui o seu comentário! :)